Redes Sociais
Pesquise

Sexto mês de gestação da Natália




Olá meninas! Tudo bem com vocês? Já estou no finalzinho do sexto mês, com 26 semanas. Nossa o tempo voa! Acho que vou ter saudades da barriguinha e ter minha pequena comigo 24 horas (risos), muito boa essa sensação.

Esse mês foi bem tranquilo quanto as sensações, só aproveitando bastante os chutes dela e começando a me comunicar, quando ela chuta dou um toquinho e ela responde hahaha, muito gostoso brincar ela, a gente fica cada vez mais apaixonada.

Agora finalmente todo mundo já percebe que não ando mais sozinha, todos já perguntam sem medo de quantos meses estou, finalmente a barriga não se esconde mais, não via a hora do “barrigão”. Não vejo mais o que vestir no meu armário, fico perdida na hora de escolher, nada mais cabe hahaha, ainda bem que tem a Emma Fiorezi para nos salvar, além de confortáveis as roupas são lindas.

Vou contar um pouquinho pra vocês sobre o quarto da Beatriz. Comecei o projeto com minhas amigas/irmãs de infância, arquitetas, no início de fevereiro, sonhava com um quarto provençal todo princesa, pesquisava tudo na internet, em uma das pesquisas cheguei a ver alguns quartos Montessorianos, achei legal mas não sabia direito de como era e passou despercebido.

Elas terminaram o projeto e comecei a ir atrás do berço, numa das lojas que fui amei alguns modelos e até já escolhi o preferido, mas vi uma cama em formato de casinha que seria para um quarto Montessoriano, perguntei para vendedora se dava para usar mesmo para bebês pequenos e ela disse que sim, era só adaptar os rolos de proteção para criança.

Acabei me interessando pela casinha, cheguei em casa e pesquisei o fim de semana todo sobre a técnica Montessori, me apaixonei. De acordo com sua criadora, Maria Montessori, o ponto mais importante do método é, não tanto seu material ou sua prática, mas a possibilidade criada pela utilização dele de se libertar a verdadeira natureza do indivíduo, para que esta possa ser observada, compreendida, e para que a educação se desenvolva com base na evolução da criança, e não o contrário.

No quarto, os objetos todos ao alcance da criança, a cama no chão para quando engatinhar ou andar poder ter a liberdade de sair sozinha, espelho e barra na altura da criança para ela se reconhecer e ter um apoio para os primeiros passinhos, assim desenvolvendo sua autonomia.

Liguei para minha amigas, passei tudo que eu havia visto e elas também foram pesquisar, mudamos todo o planejamento hehehe. Pensei em deixar de lado aquele sonho de provençal e pensar no que realmente ela vai aproveitar mais e colaborar para seu desenvolvimento.

Então as meninas fizeram novamente o projeto e ficou demais! Amei cada detalhe, agora vamos começar com os móveis e tudo mais. Muito gostoso essa parte, quando estiver pronto mostro para vocês.

É isso aí, esse foi meu sexto mês de gestação. Um grande beijo a todas.
Postado por Emma Fiorezi | 29 de Março de 2017
Tags: sexto mês, gestação
comentário(s) - ver todos

Conheça a história da mamãe Vanessa




Olá, meu nome é Vanessa, tenho 31 anos e sou psicóloga. Fiquei muito feliz com o convite para falar da minha gravidez e para vocês entenderem a minha história, farei um resumão de tudo que aconteceu nesses últimos anos da minha vida, já que foram grandes alegrias, surpresas e mudanças.
 
Nossa, que alegria!!! É muito gostoso esse momento, vamos lá!
 
Desde que me conheço por gente, ou tenho memórias da minha infância, sempre sonhei com o dia do meu casamento e o dia que seria mãe. Mas com o passar
dos anos, fui percebendo que as coisas não acontecem no nosso tempo, mas sim no tempo de Deus.
 
Em 2014, levei um grande susto, precisei fazer uma cirurgia para retirada de um mioma e endometriose no útero. A partir daquele momento, comecei a pensar se poderia ser mãe algum dia. Com tantas coisas e dúvidas passando pela minha cabeça, resolvi que era hora de mudar os ares. Foi aí que tomei a decisão de fazer uma viagem à Madrid para estudar e curtir um pouco o colo da minha mãe (ela mora na Espanha).
 
Foi assim que entendi de verdade que tudo tem seu tempo. Pois é, foi nesta viagem que tudo aconteceu. Conheci meu marido e futuro pai do meu filho (um homem apaixonante) que em poucos dias juntos, me pediu em casamento e disse “vem viver em Madrid, vamos construir nossa família!”. Era um sonho, parecia história de cinema. Confesso que a rapidez me deixou com medo, mas o amor falou mais alto.
 
Fiz minhas malas e me mudei para Madrid. Como disse no início, foram várias coisas acontecendo ao mesmo tempo, pois antes mesmo de receber a melhor notícia da minha vida, a confirmação da minha gravidez, eu ainda estava envolvida com a organização do meu casamento e a adaptação em outro país, que não é fácil e sentimos muitas saudades.
 
No primeiro momento só pensei em vantagens como “que ótimo! me caso, já tenho um filho e assim organizo tudo que sempre sonhei de uma só vez (coisa de mulher ansiosa)”.


 
Depois comecei a me dar conta do que é uma mulher grávida. Imagine todos aqueles sentimentos misturados, "casamento, gravidez, adaptação a outra cultura, outros costumes". Posso dizer que uma verdadeira loucura. A cada dia que passava parecia mais difícil, pois com a gravidez, a fragilidade e todos os sentidos estão à flor da pele.
 
Pela loucura da organização do casamento, confesso que já estou com saudades, tudo ficou lindo. Agora a gravidez e a adaptação a nova cultura ainda estou passando. E para falar a verdade, só agora aos seis meses de gestação, que estou me dando conta que ser mãe de primeira viagem é uma tremenda aventura e grandes descobertas, principalmente quando se está em um país diferente do seu.
 
Este assunto fica para o próximo post. Vemos-nos por aqui, para compartilhar minhas experiências com vocês.
Postado por Emma Fiorezi | 12 de Abril de 2016
Tags: sexto mês de gestação, grávida, gestante
comentário(s) - ver todos

Sexto mês de gestação




Como passou rápido: 6 meses já!

Tivemos uma das etapas mais importantes do pré-natal, o exame morfológico. Com ele foi possível identificar e avaliar todo desenvolvimento interno e externo dos órgãos das bebês e, claro, eu estava super ansiosa para ter certeza que elas estavam bem. Fui novamente acompanhada do papai e do Dudu. Elas estão se movimentando bastante em minha barriga, o que já posso sentir, e como é boa essa sensação!

Os sintomas de azia só aumentam. De acordo com o médico, de agora em diante preciso cuidar muito da alimentação, pois alimentos como café, pimenta, doces e massas só irão contribuir pra que isso aumente, já que as bebês estão crescendo e logo meu estômago estará mais comprimido pelo tamanho delas.

Logo após as refeições, sinto um desconforto enorme, e corro deitar para ver se alivia um pouco, mas sentindo dificuldade para ficar deitada por muito tempo, mesmo procurando ficar mais para o lado esquerdo, ora cansa, ora incomoda. Já percebo uma dor pélvica e estou andando “diferente”, acredito que seja devido a dor lombar e ao tamanho da barriga, onde preciso compensar o peso e o equilíbrio.

Darei inicio ao repouso, encerrando minha atividade profissional e reduzindo atividades rotineiras, pois na gravidez gemelar isso pode evitar que as bebês nasçam antes e contribui para que elas fiquem menos tempo no hospital.

Eu e o papai estamos agilizando os preparos com o quarto e roupinhas, o que nos deixa ainda mais ansiosos para conhecer nossas princesinhas. Beijos!
Postado por Emma Fiorezi | 01 de Fevereiro de 2016
Tags: sexto mês de gestação, grávida, gestante
comentário(s) - ver todos

Sexto mês de gestação




Olá queridas! Estou no sexto mês de gestação, o fim do 2º trimeste. Só tenho que agradeçer a Deus por tudo que está acontecendo comigo. Minha filha está crescendo a cada dia, está ganhando peso, o que me deixa muito feliz.

Minha gravidez está caminhando muito bem, tenho os desconfortos da gestação, mas nada que me desanime, pelo contrário, me sinto mais viva e feliz por esse presente maravilhoso que Deus me deu. Esse mês participamos de um curso para gestante no Hospital Paraná. Foi a semana inteira, com palestras com vários profissionais da aréa da saúde, obstetra, pediatra, enfermeira e vários outros profissionais. Achei muito interessante, mães e pais de primeira viagem, tem muitas dúvidas, ouvimos tantas coisas na gravidez e nada melhor que tirar dúvidas com quem entende do assunto!

O quarto da Ana Júlia chegou, está quase tudo pronto, falta alguns detalhes que vamos providenciando antes dela nascer. A sensação é maravilhosa, quando olho aquele quarto que antes era de visita e agora transformado com flores, borboletas lilás e um berço, da até um friozinho na barriga.

Fomos fazer um novo ultrassom esse mês, a minha pequena está super bem, quando a médica começa a mostrar o coraçãozinho, o corpinho, as mãozinhas, não tem como não se emocionar, e ela me olha e diz, mamãe sua filha está perfeita, se tornam música para meus ouvidos. Essa semana tivemos a visita do vovô, foi muito legal ter meu pai pertinho de nós. Família é tudo e ter o apoio deles nesse momento é mais que especial.

Vou tirar férias para curtir minha família que virá nos visitar e aproveitar ao máximo para descansar e acabar de arrumar as coisinhas da minha princesa. O Natal está chegando, e ai já pensaram nos pedidos para o bom velinho?

Meu presente já ganhei e fui abençoada com mais duas novidades, minha irmã e uma super amiga estão gravidas. Obaaa! A Ana Júlia terá mais uma priminha (o) e uma amiguinha (o). Desejo a cada uma, um natal maravilhoso e um 2016 cheios de realizações. Aquelas que estão pensando em ser mãe nesse novo ano, toda a sorte do mundo.

Que Deus abençoe cada uma de vocês e suas famílias.
Milhões de beijos, com carinho Esther e Ana Júlia.
Postado por Emma Fiorezi | 16 de Dezembro de 2015
Tags: sexto mês
comentário(s) - ver todos

Sexto mês de gestação



 
Oi gente! Estou muito feliz em poder estar aqui falando com vocês de novo e dividindo um pouquinho do que está sendo a nossa espera pelo Pietro.

Neste sexto mês vou relatar um pouco do que estou sentindo e passando na íntegra. A gestação é realmente um momento sublime na vida da mulher, mas também como tudo na vida existe o lado “B” ou se preferir ‘nem tudo são flores’. Se me perguntarem se vale a pena passar pelos pesares a minha resposta é “sim, milhões de vezes”, saibamos contornar as adversidades também deste período com  muito amor, otimismo e um pouco de ansiedade (risos).

Tudo corria muito bem (ao menos parecia), levava minha vida aparentemente normal, tinha os desconfortos normais da gravidez, dores no trajeto do ciático, lombalgia, cansaço normal de toda gestante, mas tinha também uma sensação de peso muito grande no meu períneo, essa sim me incomodava muito, doía mesmo. Tive dores também no baixo ventre, tudo me incomodava, parecia não ter posição pra mim e a pior delas era ficar sentada e nem precisava muito tempo, fazer uma refeição já era o suficiente para eu correr pra cama porque só assim sentia um pouco de alívio.

 Chegou então o dia de mais um ultrassom, fui ao exame e logo na sequência meu obstetra já me atenderia. O médico  identificou uma alteração na minha placenta, ela estava baixa ou prévia e o Pietro sentado (posição pélvica). Ele poderia estar sentado ainda por conta justamente da minha placenta, mas não era possível afirmar...

Bom eu já saí dali com o coração na mão e preocupada, pensei um milhão de coisas na espera do meu obstetra, pensava em já buscar informações sobre esse tipo de alteração placentária, mas ao mesmo tempo não queria ouvir nada que fosse negativo. Neguei-me a buscar qualquer coisa no google, gente, sério! Isso acaba com nosso psicológico, cá entre nós a fragilidade deste momento dispensa este tipo de informação.

Eis que então meu médico me chamou, analisando as imagens, me disse logo de cara: REPOUSO! Mais uma vez eu estava ali recebendo aquele comando.

Ahhhh! Como ficar parada é difícil pra mim. Ele me disse que eu estava proibida de fazer qualquer esforço físico, precisava me cuidar e muito, eu já estava cheia de restrições. Uma placenta prévia implica em não permitir que o bebê se torne cefálico (cabeça pra baixo), indicando a cesária e a mulher costuma sangrar muito, muito mesmo, as vezes tendo que usar bolsas de sangue nos pós-parto, entre outras coisitas mais.

Desde então estou em casa, pra ter uma noção até as fotos feitas para o blog são feitas aqui na minha casa. Estou me cuidando ao máximo para que tenhamos um bom parto e que o meu bebê nasça com muita saúde e no tempo correto.
Não está sendo realmente fácil meninas, mas como já disse, a natureza é sábia, a maternidade compensa isso tudo sem dúvida, afinal estamos falando do maior amor do mundo... E Deus está no comando sempre!
 
Até a próxima torcendo por boas notícias!

Postado por Emma Fiorezi | 30 de Julho de 2015
Tags: sexto mês de gestação
comentário(s) - ver todos
Anterior1Próxima