Frete grátis acima de 349$ Enviamos para todo o Brasil! 6x sem juros
Meu carrinho
0
Seu carrinho está vazio
Dicas

Qual a função de uma consultora de amamentação: Confira!

Publicado em 30.03.2023 |
Visualizações
972 visualizações

Um dos principais momentos do início da maternidade é a amamentação. Esse é um período muito importante tanto para mamãe quanto para o bebê, já que é durante a amamentação que acontece o mágico momento do olho no olho entre a mãe e a criança, desenvolvendo ainda mais os laços de amor. Além disso, é a amamentação que garante um desenvolvimento saudável da criança. 

Mesmo assim, segundo a consultora de amamentação, doula e bióloga, Milena Brandão, uma das principais causas de desmame é a dor. Nesse momento em que a mulher já está tão frágil, o aleitamento se torna um sofrimento e fica completamente inviável para ela prosseguir com a amamentação. 

Por isso, ter apoio profissional logo nas primeiras dúvidas e dificuldades evita um estresse desnecessário e ainda previne o desmame precoce.

Nessas horas, uma consultoria de aleitamento materno pode ser a amiga do peito da mãe. Para conhecer mais sobre essa profissão e entender melhor qual a sua importância, batemos um papo com uma profissional de vasta experiência na área. Olha só:

Qual a função da consultora de amamentação?

Embora faça parte do relacionamento mãe e filho desde os primórdios de nossa existência, amamentar nem sempre é instintivo. Mas a boa notícia é que a ciência trouxe vários direcionamentos e, com eles, muitas dicas para auxiliar as mamães nesse momento tão especial.

É aí que entra a consultora de amamentação: ela vai saber identificar as principais dificuldades na amamentação, suas causas, e, assim, orientar e corrigir a mãe. 

Basicamente, a consultora atua na correção da pega do bebê ao seio, posição do bebê e da mãe (uma das principais causas de dor), ensina a fazer massagem, ordenha e armazenamento de leite, traça planos de ação quando há baixa produção de leite e também ajuda com a famosa “mama empedrada“. 

A profissional ainda tem conhecimento para identificar disfunções orais no bebê, mastite, candidíase, além de outros fatores e apetrechos que ajudam ou atrapalham no aleitamento. Quando necessário, a consultora é a responsável por realizar os devidos encaminhamentos médicos.

Todo esse processo traz ainda um benefício considerado o mais importante de acordo com a visão da Milena Brandão: “dar autonomia à mãe“.

Quer entender mais sobre a importância do aleitamento? Então confira o nosso conteúdo completo sobre Agosto Dourado, aqui!

Como saber quando pedir ajuda ou orientação profissional?

Amamentar é um ato de amor e deve estar presente na vida mamãe-bebê com muita compreensão e paciência. Existem dois momentos em que é recomendado a busca por uma consultora de amamentação: quando está prestes a ter o bebê e não se sente preparada para amamentar, ou quando o aleitamento está causando sofrimento desnecessário para a mãe.

Nesse segundo caso, o ideal é buscar ajuda já nos primeiros sinais: dor, ferimento nos mamilos, preocupações com a produção de leite e até se o bebê não apresentar ganho de peso de forma satisfatória.

A consultora de aleitamento materno reforça que saber quando pedir ajuda é uma das tarefas mais desafiadoras da maternidade:

“Achamos que é nosso dever dar conta de tudo sozinhas, que pedir ajuda é um sinal de falha, fracasso e vergonha. Precisamos nos cobrar menos, olhar umas às outras com mais empatia. Não existe mulher maravilha!“

Como encontrar uma consultora de amamentação?

O bom e velho Google ainda é a melhor ferramenta. A indicação também é valiosa e pode vir do médico pediatra ou de alguma amiga, por exemplo. 

Os bancos de leite também são fontes de bons profissionais que com certeza vão ajudar a mãe neste momento.

Qual é a opção para quem não pode ter uma consultora de amamentação?

Infelizmente, nem sempre as mamães têm condições de conseguir contratar uma consultora de amamentação, mesmo sendo necessário. Mas existem outras opções! 

Por exemplo, você pode buscar pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e seus Bancos de Leite Humano. Os profissionais que trabalham nessa rede vão conseguir te auxiliar e te orientar nesse momento delicado.

É importante também que se estude bastante sobre o assunto, lendo conteúdos na internet, livros e até mesmo assistindo vídeos no YouTube de profissionais e referências na área,

Além disso, tente se desprender da ideia de que deveria ser algo intuitivo: o aleitamento pode ser natural, mas não é intrínseco no conhecimento das mulheres. Por isso, não se cobre nos momentos de dificuldade.

Por fim, caso amamentar esteja sendo difícil para o bebê, o interessante é evitar os bicos como mamadeiras e chupetas, pois os diferentes modelos, texturas e fluxos são diferentes e podem confundir o seu neném.

O estigma das mães que não conseguem amamentar

Justamente por ser algo natural, há uma ideia de que amamentar é algo fácil e que vai acontecer de forma instintiva. 

Por isso, quando, por algum motivo, a mãe e seu bebê não conseguem se adaptar ao aleitamento, ela acaba se sentindo frustrada por não dar conta disso sozinha. Além de sua autocobrança, o julgamento das pessoas que estão em volta da mulher ainda pioram a situação.

Para as mães que esgotaram seus recursos financeiros, físicos e emocionais e ainda assim não foi possível amamentar ou amamentar exclusivamente, fica aqui o recado da Milena:

“Você fez o seu melhor naquele momento e naquela situação. A amamentação nem sempre é possível ou há necessidade de complementar e está tudo bem! Isso também é amamentação. Há situações e problemas que realmente fogem do controle da ciência e de você neste momento. Sinta-se abraçada!“

Os mitos da amamentação

Para finalizarmos o assunto, que tal abordarmos um pouco sobre os mitos e lendas da amamentação? É por meio da desmistificação que podemos transformar o aleitamento materno em um processo mais saudável e lindo da forma que deve ser.

“Mulheres com seios pequenos não podem produzir leite suficiente”

O tamanho dos seios não interfere na capacidade de produção de leite, porque ela é determinada principalmente pela demanda do bebê e pela estimulação adequada da mama.

“A dor é normal durante a amamentação”

Mesmo sendo comum sentir um certo desconforto nos primeiros dias de amamentação, a dor intensa e persistente não é normal. 

Pode indicar um problema, como uma pega incorreta do bebê ou uma condição como mastite. É importante buscar ajuda de uma consultora de amamentação para resolver esses problemas.

“Amamentar machuca os seios”

Amamentar não deve causar danos graves aos seios. Se houver rachaduras ou feridas nos mamilos, geralmente é devido a uma pega inadequada do bebê. Corrigir a posição de amamentação e garantir uma pega correta pode ajudar a prevenir o desconforto e as lesões.

“Leite materno não é suficiente para satisfazer o bebê”

Na realidade, ele é altamente nutritivo e projetado especificamente para atender às necessidades do bebê. 

A quantidade de leite produzida é normalmente adequada para o bebê, e a amamentação sob demanda é uma forma eficaz de garantir que o bebê esteja recebendo o suficiente.

“Mulheres com implantes mamários não podem amamentar”

A maioria das mulheres com implantes mamários pode amamentar normalmente. No entanto, é importante informar sobre para o médico durante a consulta pré-natal para o profissional poder avaliar se pode, ou não, afetar o aleitamento.

Conseguiu tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto? Caso ainda tenha algo que queira saber sobre consultora de amamentação, deixe um comentário abaixo e iremos te responder o quanto antes. Desejamos uma maternidade linda e saudável para você!

Aproveite também para conferir nossas peças abaixo. Até a próxima!

Sutiã de Amamentação

Rosquinhas de Amamentação

Aceite os cookies e tenha uma melhor experiência em nosso site, consulte nossa Política de Privacidade.